Sábado, 17 de Novembro de 2012
Use lâmpadas economizadoras

Para muitos, luzes de Natal nas árvores, à volta da lareira e até no jardim sãc decorações essenciais.

Criam um ambiente acolhedor e é tentador ligá-las durante o dia dentro de casa, assim como à noite. Isto ajuda a contribuir para o facto de consumirmos muito mais energia em casa durante o Natal, o que por sua vez tem impacto no ambiente e nas alterações climatéricas.

Por isto, justifica-se a mudança para LEDs e lâmpadas economizadoras em casa.

Se deixar ligado um conjunto de luzes de Natal em casa durante dez horas por dia nos 12 dias de Natal, produzirá dióxido de carbono (um dos principais gases do efeito de estufa) suficiente para encher 64 balões de festa.

As luzes exteriores tendem a usar ainda mais energia, pois geralmente têm mais watts e são, assim, menos economizadoras. Contudo, é fácil poupar energia e ter ainda assim luzes bonitas.

Luzes LED
As luzes da árvore de Natal com díodos emissores de luz (LED) emitem uma luz vibrante que usa menos 80 por cento de energia do que as luzes de Natal convencionais. Também duram mais e não aquecem tanto como as lâmpadas tradicionais, pois não têm filamento. O brilho da cor torna as luzes LED indicadas para utilização dentro e fora de casa.

As luzes a energia solar também são uma boa opção e, mesmo num dia invernoso, absorvem sol suficiente para iluminarem uma árvore de Natal interior ou exterior sem necessitarem de energia eléctrica.

Lâmpadas economizadoras
Tal como as lâmpadas LED, as lâmpadas economizadoras usam cerca de um quarto da electricidade das lâmpadas padrão e duram até 12 vezes mais. As evoluções tecnológicas fizeram com que estas lâmpadas sejam agora vendidas em vários formatos e tamanhos.

Procure o logótipo de recomendação energética para encontrar os produtos mais economizadores na sua loja.

Saiba na próxima página alguns factos curiosos sobre energia

 

Factos sobre energia

. Uma casa com um jogo de luzes de Natal extravagantes gasta dinheiro suficiente para aquecer e abastecer uma casa comum durante seis semanas e produz 400 kg de dióxido de carbono, mais do que suficiente para encher dois autocarros de dois andares.

. Apenas 10 por cento da electricidade usada para acender uma lâmpada comum é transformada em luz. Os outros 90 por cento são desperdiçados sob a forma de calor.

. Se todos os lares do Reino Unido usassem apenas lâmpadas economizadoras, poder-se-ia poupar energia suficiente para fechar uma central eléctrica.

. Uma lâmpada economizadora poupa até 6 euros e cerca de 40 kg de dióxido de carbono por ano. Como dura até 12 vezes mais, pode poupar até 50 euros antes de a substituir. Estas poupanças já contabilizam o preço mais elevado das lâmpadas economizadoras.

. Recicle em segurança todas as lâmpadas economizadoras, pois contêm pequenas quantidades de mercúrio. Use luvas para pegar nas lâmpadas, coloque-as num saco de plástico e leve-as ao ecocentro mais próximo. Se não souber onde fica pergunte na câmara municipal.

 

fonte:http://mulher.sapo.pt/l 



publicado por adm às 23:24
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 13 de Março de 2011
Lâmpadas economizadoras serão perigosas para a saúde?

A informação que circula por e-mail alerta para o facto de as lâmpadas de baixo consumo, ou economizadoras, terem mercúrio na sua composição e, por isso, serem perigosas para saúde.

O e-mail avisa que o mercúrio é um veneno perigoso que pode ser inalado caso a lâmpada se parta e acrescenta um conjunto de procedimentos a ter em conta para que não haja o risco de tocar ou inalar o mercúrio que fica nos vestígios da lâmpada partida.

Efectivamente não é um mito, é verdade. A Divisão de Saúde Ambiental da Direcção Geral de Saúde refere que «o mercúrio é uma substância que pode intoxicar por ingestão, inalação ou absorção cutânea. A exposição prolongada ao mercúrio pode produzir efeitos graves na saúde humana, caracterizados por sintomas diversos que podem ir desde alterações da personalidade, até estádios de coma mais ou menos severos, sendo o mercúrio prejudicial para o sistema neurológico, cardiovascular, imunitário e reprodutivo».

A diferença reside no facto de o mercúrio estar presente, de uma forma geral, em todas as lâmpadas fluorescentes compactas (compridas, em forma de tubo, usadas, normalmente, na cozinha) e fluorescentes tubulares (como a da imagem, conhecidas como economizadoras). Ainda assim, a quantidade de mercúrio presente nestas lâmpadas é residual, pelo que não representam um perigo para a saúde pública.

O assunto está entregue à Agência Portuguesa do Ambiente (organismo integrado no Ministério do Ambiente e do Ordenamento do Território) que publicou recentemente uma informação oficial sobre este tema, integrada no seu site. Para além disso, prevê-se que todas as embalagens de lâmpadas tenham a indicação da existência ou não de mercúrio na sua composição, informação essa a cargo das marcas. Como refere Paulo Diegues, «no caso das lâmpadas que contêm mercúrio (economizadoras ou outras), deve ser indicado aos utilizadores finais o site que devem consultar em caso de quebra acidental da lâmpada».

 

A Direcção Geral de Saúde elaborou uma lista de medidas a seguir caso uma lâmpada com mercúrio se parta:

1. Desocupar o local e manter as crianças e os animais fora da área afectada.

2. Desligar o sistema de ar condicionado central, caso exista e ventilar o local, abrindo as janelas durante, pelo menos, 15 minutos antes de limpar.

3. É essencial não utilizar aspirador porque vai espalhar as partículas de mercúrio pela casa.

4. Limpar utilizando luvas de borracha e recolhendo os vidros partidos.

5. Limpar as superfícies duras utilizando cartão, por exemplo.

6. Colocar tudo, incluindo o cartão, num saco de plástico.

7. Limpar as superfícies com um pano húmido e colocar o pano, bem como as luvas, no saco de plástico.

8. Evitar a utilização de produtos de limpeza.

9. Na limpeza de carpetes, utilizar fita adesiva para agarrar pequenos pedaços de mercúrio ou de pó residual e, em seguida, colocar no saco de plástico. Não utilizar panos húmidos nos tapetes.

10. O saco de plástico usado deve ser resistente e, no final, deve ser fechado e entregue num centro de recepção de REEE (resíduos de equipamentos eléctricos e electrónicos), ou depositado nos contentores específicos para lâmpadas (partidas ou apenas fundidas), existentes, por exemplo, em alguns centros comerciais.

fonte:http://saude.sapo.pt/

 



publicado por adm às 23:36
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 26 de Novembro de 2010
Lâmpadas economizadoras: rótulo ajuda a escolher

 

Fluxo luminoso, tempo de vida em horas, número de ciclos ligar/desligar, cor e tempo necessário para acender são obrigatórios na embalagem.

 

A directiva ecodesign para lâmpadas economizadoras obriga os fabricantes a tornarem os rótulos mais úteis e claros. Desde Setembro, começam a aparecer as primeiras embalagens com informação obrigatória, por exemplo, sobre a temperatura de cor ou tempo de vida. Os fabricantes têm ainda de disponibilizar informação complementar nos seus sítios, como o tempo de arranque ou o fluxo luminoso no fim do tempo de vida (não basta uma lâmpada ficar acesa durante 15 000 horas se ao fim das primeiras 5000 perde metade do fluxo luminoso).

Escolher o modelo mais adequado era uma tarefa difícil e, por vezes, até decepcionante, por exemplo, quando a cor da luz não agradava. Sem mencionar o tempo que a lâmpada demora a atingir uma luminosidade razoável, o consumidor não sabia se era indicada para corredores e zonas de passagem, onde é preciso acender quase de imediato, por exemplo. Mostramos-lhe como ler os rótulos e fazer boas compras.

Fluxo luminoso
Os consumidores estão habituados a comparar a potência em watts, mas nas lâmpadas economizadoras importa sobretudo a quantidade de lumens emitidos. Duas lâmpadas com a mesma potência, podem emitir fluxos luminosos muito diferentes.

 

Fluxo luminoso de 1140 lumens Fluxo luminoso de 287 lumens

 

 

Tempo de vida em horas
Essencial para avaliar a durabilidade. Quanto maior, mas económica é a lâmpada. Mas a Directiva permite que apenas 50% das lâmpadas cumpram as 6000 horas, o que é insuficiente.

Dura 15 000 horas Dura 2000 horas

Ciclos ligar e desligar
Indica o número de vezes que a lâmpada pode ser ligada e desligada. Critério fundamental se pretende usá-la na despensa ou casa de banho.

Resiste a 25 000 ciclos de ligar e desligar Resiste a 10 000 ciclos de ligar e desligar

 

Cor
Através do número de kelvins, é possível identificar a cor. Uma lâmpada com 2700k apresenta uma cor de luz idêntica à das incandescentes; uma com 4000k é mais branca. Algumas embalagens referem ainda “warm white” para descrever luz semelhante à incandescente ou “cold white” para luz mais branca.

 

 

Com 2700K apresenta uma cor de luz idêntica à das incandescentes Com 2700K apresenta uma cor de luz idêntica à das incandescentes

 

 

Tempo de arranque
Número de segundos que a lâmpada demora a atingir 60% do seu fluxo luminoso. Quando tal acontece em 1 segundo, os fabricantes podem alegar “instant full light”. Estes modelos são ideais para casas de banho e corredores. Uma lâmpada que demore muito a acender pode ser perigosa para iluminar escadas, por exemplo.

Demora 60 segundos a atingir 60% do fluxo luminoso Atinge o fluxo luminoso total imediatamente

Ao frio ou na rua
As lâmpadas fluorescentes compactas são menos eficientes em locais de baixa temperatura ou no exterior, como na porta de entrada da casa. Para contrariar esta tendência, alguns fabricantes criaram modelos específicos.

 

 

Adequada para usar no exterior Adequada para usar no exterior

Diâmetro e comprimento
Verifique se as medidas correspondem às do candeeiro.

 

Comprimento e diâmetro Comprimento e diâmetro

 

 

Mercúrio
O rótulo deve indicar a quantidade de mercúrio em miligramas. A lei permite um máximo de 5 miligramas.

 

 

Quantidade de mercúrio inferior a 5 mg Quantidade de mercúrio inferior a 5 mg

 

 

Regulador de intensidade
Só alguns modelos podem ser usados em candeeiros ou interruptores com dispositivo de intensidade.

 

Pode ser usado em candeeiros com dispositivo de intensidade Não pode ser usado em candeeiros com dispositivo de intensidade

fonte:deco.proteste



publicado por adm às 22:53
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 24 de Junho de 2010
Lâmpadas economizadoras são perigosas à saúde quando partem

Estes tipos de lâmpadas, que são chamadas de poupança de energia ou lâmpadas de baixa energia, se elas se partem  causam sério perigo! Tanto que todos vão ter que sair da sala, pelo menos, durante 15 minutos. O alerta é do Ministério da Saúde britânico.

Essas lâmpadas contém mercúrio (venenoso), que causa enxaqueca, desorientação, desequilíbrios e diferentes outros problemas de saúde quando inalado. E muitas pessoas com alergias, causa-lhes problemas de pele e outras doenças graves apenas tocando esta substância ou inalando.

O ambiente onde a lâmpada quebrar deve ser limpo através de vassoura ou escova normal e os resíduos mantidos num saco lacrado e jogado fora de casa, no lixo para materiais perigosos.

Além disso, o ministério alertou para não limpar os restos da lâmpada partida com o aspirador de pó, pois iria espalhar a contaminação para outros  lados da casa quanto estiver usando o aspirador de pó novamente.

Aviso: O mercúrio é perigoso, até mais venenoso que o chumbo ou arsénio.

Fonte: Consumidor-R



publicado por adm às 20:58
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

.posts recentes

. Use lâmpadas economizador...

. Lâmpadas economizadoras s...

. Lâmpadas economizadoras: ...

. Lâmpadas economizadoras ...

.arquivos

. Abril 2013

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Agosto 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Março 2010

.links
.tags

. todas as tags

.subscrever feeds